A boa notícia de hoje


 

Do Evangelho segundo Lucas

Lc 8: 4-15

Naquele tempo, reuniu-se uma grande multidão, e de todas as cidades iam ter com Jesus. Então ele contou esta parábola:

“O semeador saiu para semear a sua semente. Enquanto semeava, uma parte caiu à beira do caminho; foi pisada e os pássaros do céu a comeram. Outra parte caiu sobre pedras; brotou e secou, porque não havia umidade. Outra parte caiu no meio de espinhos; os espinhos cresceram juntos, e a sufocaram. Outra parte caiu em terra boa; brotou e deu fruto, cem por um”. Dizendo isso, Jesus exclamou: “Quem tem ouvidos para ouvir ouça”.

Os discípulos lhe perguntaram o significado dessa parábola. Jesus respondeu: “A vós foi dado conhecer os mistérios do Reino de Deus. Mas aos outros, só por meio de parábolas, para que olhando não vejam, e ouvindo não compreendam. A parábola quer dizer o seguinte: A semente é a Palavra de Deus. Os que estão à beira do caminho são aqueles que ouviram, mas, depois, vem o diabo e tira a Palavra do coração deles, para que não acreditem e não se salvem. Os que estão sobre a pedra são aqueles que, ouvindo, acolhem a Palavra com alegria. Mas eles não têm raiz: por um momento acreditam; mas na hora da tentação voltam atrás. Aquilo que caiu entre os espinhos são os que ouvem, mas, com o passar do tempo, são sufocados pelas preocupações, pela riqueza e pelos prazeres da vida, e não chegam a amadurecer. E o que caiu em terra boa são aqueles que, ouvindo com um coração bom e generoso, conservam a Palavra, e dão fruto na perseverança”.


Comecemos pelo que é o Evangelho: “boas novas”.

E a boa notícia que Jesus nos anuncia hoje é:

  • Somos campo de Deus

  • O Senhor sempre semeia em todos os lugares

  • A semente que cai em boa terra rende cem vezes mais

SOMOS CAMPO DE DEUS

Ao ouvirmos esta parábola, imediatamente pegamos um trator e cavamos em nossa consciência , às vezes de forma abrupta , violenta, para extrair as raízes mais profundas de nossas falhas , entre fraquezas e falhas morais: porque minha vida – que deveria ser um campo limpo – se compactou tanto que ficou refratária, impermeável como uma estrada de asfalto? Tenho a dureza e a secura de uma pedra no meu coração? Qual é o amontoado de espinheiros que invadem minha existência e sufocam minha fé?

Perguntas legais, de fato oportunas, oportunas.

Mas antes de tudo isso há uma consciência que devemos guardar e nutrir: somos o campo de Deus! Pertencemos a ele, somos queridos por ele.

Há uma graça sempre em ação em nossa vida. Deus, como o semeador que “sai”, se encarnou, saiu de sua luz inacessível, desde a eternidade, para cuidar de nós e recuperar nosso campo até que seja fecundo de bons frutos. Colocar essa certeza antes de qualquer exame honesto de consciência é indispensável se não quisermos permanecer afundados em um estado perene de impotência.

O SENHOR SEMEIA SEMPRE EM TODO LUGAR

É verdade: somos refratários, áridos, duros, rodeados de muitos espinheiros. Mas as condições de nossa terra não desencorajam o Senhor, não o dissuadem de semear. De fato, parece que sua mão está espalhando uma semente ainda mais abundante onde há maior risco de não dar frutos: você vê que Ele está mais frequentemente com os “pecadores” do que com os “justos”. E ele mesmo disse o porquê: “ Não são os sãos que precisam de médico, mas sim os doentes; eu não vim chamar os justos, mas os pecadores ” (Mc 2:17).

A SEMENTE QUE CAI EM BOA TERRA DÁ FRUTO CEM VEZES MAIS

A ação de Deus sempre supera nossas expectativas. Fora de todas as proporções, “cem vezes mais”. Não pelo que somos capazes de produzir, mas em virtude da semente, que é o poder de sua Palavra : ” Como chuva e neve descem do céu e não voltam sem irrigar a terra, sem tê-la fertilizado e feito brotar, para que dê semente aos que semeiam e pão aos que comem, assim será com a palavra que saiu da minha boca: não voltará para mim sem efeito, sem ter feito o que quero e sem ter feito o que eu mandei ” (Is 55: 10-11).

 

 


Fonte: https://www.piccoloeremodellequerce.org/post/buona-notizia