Na encruzilhada da nossa vida


 

Do Evangelho segundo Lucas

Lc 9: 18-22

Aconteceu que Jesus estava rezando num lugar retirado, e os discípulos estavam com ele. Então Jesus perguntou-lhes: “Quem diz o povo que eu sou?” Eles responderam: “Uns dizem que és João Batista; outros, que és Elias; mas outros acham que és algum dos antigos profetas que ressuscitou”.

Mas Jesus perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Pedro respondeu: “O Cristo de Deus”. Mas Jesus proibiu-lhes severamente que contassem isso a alguém.

E acrescentou: “O Filho do Homem deve sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei, deve ser morto e ressuscitar no terceiro dia”.


 

 

“Aconteceu” – assim começa hoje o Evangelho.

Há um acontecimento destinado a marcar você para sempre, quando você sente, talvez não imediatamente ou claramente, que nada será como antes.

Nesse ‘acontecimento’, a vida te coloca em apuros porque te coloca em um ponto de virada. Muitas coisas podem acontecer nesse dia, e para cada um de nós o cenário será diferente. No entanto , todos nos encontraremos na encruzilhada de nossa história e seremos questionados pelo Senhor: “Mas e você, quem diz que eu sou?” . E certamente não será uma pesquisa de opinião.

Sua resposta sobre a identidade Dele será como uma assinatura em branco sobre o seu futuro, porque você terá que escolher a quem confiar seu coração para sempre e a quem entregar sua vida compartilhando o mesmo caminho.

“Quem sou eu para você?” – o Senhor lhe perguntará. Mas não se preocupe. Aí vem a beleza, se você puder se ‘posicionar’ corretamente. Encontra-te, como sugere hoje o Evangelho, “num lugar retirado para rezar” e cerca-te de amigos que têm no coração a mesma questão.

A resposta virá e você terá uma vida plena, embora isso envolva o esforço do êxodo – uma saída obrigatória e libertadora! – de sua antiga escravidão.

“Quem sou eu para você?” não será mais uma pergunta incômoda e intrusiva, mas o aguilhão saudável que o jogará para fora da cama todas as manhãs com o desejo, gradualmente mais consciente e forte, de amar e servir.

Nesse ponto – e isso é o que significa “ressuscitado com Cristo”! – você não carregará mais nos ombros uma cruz sofrida e um destino adverso, mas se casará com a esperança que brota onde um grão de trigo cai e morre.

Essa semente, que o mundo percebe como ‘desperdiçada’, se tornará pão e saciará muitos. Por uma vida que vale a pena ser vivida!

Falei do futuro. Mas é “hoje” que tudo isso pode acontecer, se você quiser, no lugar solitário do coração.

Abrindo espaço para Deus.

 

 


Fonte: https://www.piccoloeremodellequerce.org/post/al-bivio-della-nostra-vita